CULTURA

Caligrafia

 

Para a maioria dos ocidentais, caligrafia nada mais significa do que, literalmente, escrita bonita. É usada em diplomas, cartões de felicitações, convites de aniversários e casamentos,. Para orientais, a caligrafia é uma arte como a pintura, apreciada como representação tanto pictórica como ideográfica. A estética chinesa, com efeito, curiosamente exclui a escultura da lista das belas-artes, considerando-a trabalho manual. Mas dá grande importância à caligrafia. Fusão de uma ideia e de uma imagem, a caligrafia leva em seu bojô não só conotações de signos legíveis, mas também um sentido. Deriva do tipo de escrita definido no último período Ham (25-220 d.C.) e sofreu alterações em várias regiões e épocas. Passou de simples invenção estilística da dinastia Shang-Yin (1766-1122 a.C.) para os elegantes floreios da dinastia Yuan (1280-1368). Dentre suas variedades, contam-se o k'ai shu, ou estilo da "escrita regular", ou hsing shu, ou estilo da "escrita fluida", o ts'au shu, o estilo da "escrita relva". Os interessantes ritmos criados entre o sólido das tintas e os espaços vazios do fundo, são, realmente arte em branco e preto, um ritmo de forma e espaço.